BLOG

3 de dezembro de 2018
|

Prejuízos ou Investimento? Sua empresa sofre quando você precisa pagar por erros?

Ter uma empresa não é fácil, é necessário uma série de cuidados para que tudo seja perfeitamente bem feito. Administrar as finanças, as pessoas e também saber lidar com imprevistos, que sabemos, as vezes acontece!

A forma como se encara os imprevistos, fará toda a diferença na sua empresa, pois sabemos que em uma dessas situações não calculadas a empresa pode ser levada à falência.

Sabe aquele produto que foi vendido de um lote com problemas que você não imaginava? ou aquele serviço que por algum motivo deu problema e você precisou agir? Esses são prejuízos que você irá lidar, e a grande pergunta é, como?

Muitos desses prejuízos são por falta de experiência de todos os envolvidos e logo de cara pode parecer ser considerado prejuízo, mas às vezes se avaliar bem pode ser caracterizado como um investimento.

Em uma empresa, é interessante que no planejamento tenha um saldo reserva para esses problemas eventuais, 5% de todo o seu faturamento já é o suficiente pois isso deve participar da estrutura de custo do seu serviço ou dos produtos que vende.

Este ano, obtive algumas experiências que considero investimento, e irei compartilhar com vocês:

Falta de noção de escopo

Na área de tecnologia e serviço, existem muitas coisas que não conseguimos prever, como as diferenças no escopo. Empresas de tecnologia que não seguem um escopo ou seguem à risca demais tendem a ter problemas, pois acabam prejudicando não só a empresa como o cliente também. Ou seja caso não seja maleável, você pode perder o cliente, mas se for maleável demais você assume o prejuízo para si.

Em um dos projetos que ocorreu este ano, aconteceu de eu ser maleável demais (quem me conhece sabe que amo ajudar os outros). O projeto era bem grande e eu estava querendo fazer tudo corretamente para não prejudicar a empresa parceira ou o nome de quem indicou o projeto. Dessa forma eu assumi diversos erros que não necessariamente faziam parte do nosso serviço e isso fez com que a entrega do projeto demorasse muito mais por não seguir um escopo, e neste caso, se o prazo é maior do que o planejado, o custo é bem maior.

No final das contas, deu certo a defesa do parceiro e da indicação, mas acabei prejudicando a minha empresa. Nesta situação aprendi que escopos nasceram para proteger todos os envolvidos no projeto, aquela velha história de que qualquer alteração irá mudar o escopo solicitado é a mais pura verdade.

Então, apesar do prejuízo, foi um grande investimento em projetos futuros pois esse tipo de situação não irá mais acontecer.

Investimentos que não trouxeram resultados

Durante o ano investimos bastante em pessoas, contratamos com o objetivo de ensiná-las pois acreditamos naquela frase “para se ter experiência é necessário ter primeiro uma oportunidade”. Mas apenas 5% deram sucesso, aprendi que vale a pena ensinar porém para quem tem muita vontade de aprender.

Vontade de ajudar demais os outros

Ajudei e ajudo muita gente, mas quando se faz isso demais isso impacta como prejuízo. O que aprendi? Que realmente prefiro ter prejuízos do que parar com minha missão de vida.

Falta de experiência em contratos

Todos os contratos precisam ter a área de “risco”. Quando se é pequeno demais você acaba não enxergando riscos, afinal tudo é oportunidade. Mas quando você começa a crescer, tudo tem risco e eu não previ isso e tive que pagar.

Aprender é caro, então tudo que fizemos esse ano, teve um custo alto nos erros, seja com serviços, com pessoas ou negociações. Tudo que você faz para aprender, tem o lado bom de que no futuro você terá o conhecimento para passar por situações parecidas lidando melhor com elas.

No resumo da ópera, esteja preparado financeiramente, pois sua empresa terá que pagar para aprender, mas ver o lado positivo disso irá te fazer bem.

E aí, você também aprendeu com seus erros esse ano? Comente com a gente e vamos conversar!



0 Comments


Venha nos contar sua opinião!

Leave a Reply

Posts relacionados